terça-feira, 29 de abril de 2008

Onde é que estava no 25 de Abril?

O Baptista Bastos fazia sempre esta pergunta a todos os que convidava para conversar nesse saudoso pograma de televisão (Conversas Secretas) . Sempre achei montes de piada à pergunta. E ficou para sempre como uma questão simples mas sempre curiosa. Que o diga o Herman José que se fartou de brincar com ela.
Uma vizinha aqui da blogosfera (Setubal - uma fotografia por dia) deixou-me essa questão e confesso que me veio logo o sorriso à cara, pelos motivos acima descritos.
Mas vou contar.
No 25 de Abril de 1974, tinha 16 anos. Havia de fazer 17, imediatamente 2 meses depois.
Nesse dia, acordei e fui, como de costume, para o Flamingo. Quem, da minha geração, não se lembra do Flamingo? Um café que ainda existe, pelo menos existia há muito pouco tempo, no Montalvão e onde eu "parava" nessa altura com o grupo de amigos de então.
Quando lá cheguei estava o Sr. Moisés, dono do dito estabelecimento, com outros, de roda do radio e a falar baixinho. Quando pedi o café, começou-me a perguntar se os meus pais sabiam que eu estava ali. E eu a olhar para ele feito parvo. Então disse-me para eu ir para casa porque haviam problemas serios em Lisboa e que os meus pais deviam estar preocupados comigo. Depois de alguma insistencia lá me disse o que se passava, mais ou menos. Quem ficou passado fui eu.
Fui para casa e lá fiquei com a minha mãe a ouvir na radio o que estava a acontecer.
Á noite, não me perguntem como fiz para escapar de casa porque não me lembro, andei, naquela incosciencia e ingenuidade propria da idade, pelas ruas quase desertas de Setubal com uns amigos, a cantar Zeca Afonso. Só apetecia fazer coisas proibidas. Enfim...coisas de puto reguila. Nada mais.
E vocês? Onde estavam no 25 de Abril?

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Que dia..............

25 de Abril

Eu sou um apaixonado do 25 de Abril.
Li e vi tudo o que me foi possivel sobre o assunto.



Hoje quero, no meu humilde blogue, prestar homenagem àquele que, entre outros, considero o verdadeiro heroi desse dia.

25 de Abril
SEMPRE!

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Está um gajo descansadinho e.......Boom



O Pedro Abrunhosa construiu o maior estudio de gravação da Peninsula Iberica e um dos melhores da Europa.Chama-se Boom Studio.


Ah....grande Pedro. É malta desta que a gente precisa.
Quando menos esperamos levamos com coisas destas.

Só um cheirinho:
"...uma sala de gravação com 120 metros quadrados, onde cabe uma orquestra.O espaço foi desenhado por Phil Newall, o mesmo engenheiro que concebeu o estúdio dos U2, de Michael Jackson e de várias outras estrelas da música internacional. A porta de entrada está ao lado da "docking station", onde os camiões descarregam instrumentos, que chegam ao estúdio por um corredor blindado - aliás, tudo neste edifício é blindado, dado o incalculável valor dos equipamentos."

O resto está aqui

terça-feira, 22 de abril de 2008

Bons ventos da America Latina


Fernando Lugo ganhou as eleições no Paraguai.
Os pobres, quando querem, também ganham.
O Vaticano deve estar em brasa.
Aleluia!






“Que este povo seja conhecido, de agora em diante, pela sua honestidade e não pela sua corrupção", disse Lugo, citado pelo jornal paraguaio ABC, perante os festejos da população na capital, Assunção.

sábado, 19 de abril de 2008

Gary Burton & Pat Metheny - Tiempos Felices

video

Este não é do YouTube.Vem direitinho do meu arquivo pessoal.

sábado, 5 de abril de 2008

Azeite ???????



Lá para os lados de Beja, no Alentejo, aquele que não dava nada e estava condenado....a não ser que fosse para uns campos de golfe e para o turismo, os espanhois já instalaram 12 mil hectares de olival itenso.

A maior parte dessas localidades estavam abandonadas, não tinham trabalhadores fixos e agora têm já alguns efectivos e muitos mais sazonais. Os produtores compram em Beja a maquinaria e o gasóleo, contratam empreiteiros locais e transformam aqui o azeite.


A olivicultura intensiva da Franlabora, um dos vários grupos económicos espanhóis presentes no Alentejo, pode mesmo vir a ultrapassar brevemente os sete mil hectares, graças ao projecto do maior olival do mundo, com quase cinco mil hectares, na Herdade dos Machados, em Moura.Os investimentos globais da Franlabora nas várias herdades, à volta de 150 milhões de euros, envolvem previsões de facturação superiores a 500 milhões de euros acumulados até 2022 (valências agrícola e industrial).
Dentro de oito a dez anos, quando todos os novos olivais estiverem em produção plena, Portugal não será mais deficitário, deixando de ter que importar metade do azeite que consome e, pelo contrário, tendo muita produção para exportar.


Mais informação aqui.


E agora pergunto eu:
Onde estão os nossos empresários e investidores? Aqueles que estão sempre a dizer que não dá? Que é preciso incentivos do Estado? E blá blá blá.......
E depois são os trabalhadores que não têm formação e que precisam de aprender....
São muito bons é a andar de Jipe e a molhar os tomates em Cancun.
Vão mas é dar sangue às moscas.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

"La vie en rose". Tudo bom .......




Acabei de ver o filme "La vie en rose".Pela segunda vez numa semana.
É daqueles filmes... Tenho dias que vejo dois e três filmes seguidos, mas depois de ver um filme destes não consigo ver mais nenhum logo depois.É como comer algo que, de tão maravilhosamente bom, não se quer perder o sabor.

Espero que sirva para que mais descubram o prazer de conhecer Edith Piaf...inevitalmente.